MEU PRIMEIRO GANG BANG – CINCO MACHOS E UM CASAL

CASTIGOS PARA UM MARIDO coRno
8 de novembro de 2018
TRAI MEU MARIDO: VOLTEI PARA CASA COM MEU CUZINHO ARROMBADO
14 de novembro de 2018
Show all

Após procurar anúncio de swing, troca de casais, encontrei um que me chamou a atenção: “Somos casados, ambos 45 anos, procuramos cinco homens para juntos praticarmos “gangbang”. Higiene, sigilo e bom dote são obrigatórios. Contataremos todos os candidatos até decidirmos que serão os escolhidos”. Resolvi mandar e-mail com fotos principalmente do “dote”. Passado uma semana recebi resposta do casal Paulo e Meire. No e-mail diziam que tinham gostado muito das fotos, pois a esposa adorava homens maduros e que meu perfil se encaixava na fantasia deles: Transar com vários homens. No final do e-mail explicam que os participantes poderão fazer o que quiserem com a esposa, até gozar dentro dela sem camisinha. A única exigência é fazer exame de sangue HIV uma semana antes da festinha. Topei!
Passado alguns dias recebi novas instruções a data do “gangbang” e a localização de uma chácara próxima de São Paulo, dizia também que haveria outros homens, todos de ótimo nível e perguntavam se eu tinha alguma objeção com fotos e gravações sem rosto. Respondi que não.
Cheguei ao local com meia hora de atraso. Fui recepcionado por Paulo que me levou até um quarto, me deu um roupão e um par de chinelos.
-Troque-se fique à vontade, se quiser tomar um banho tem toalha ai.
Aproveitei e lhe mostrei o exame de sangue. Em seguida ele me mostrou o exame da esposa e o dele.
-Tudo certo, venha conhecer a Meire.
Quando cheguei à porta do quarto ouvi gemidos e vi na cama uma linda morena nua de quatro e um cara musculoso metendo na buceta dela, outro na frente dando a rola para ela chupar. Em volta da cama outros homens batiam punheta. Ela parou de chupar, olhou para nossa direção e com a cara mais safada sorriu e disse:
– Seja bem-vindo!
Na hora fiquei paralisado vendo a cena. Meu pau endureceu entrei no ritmo da suruba – Comecei a bater uma punheta observando o macho musculoso fodendo a esposinha com muita força. Às vezes ela pedia para o cara diminuir os movimentos e, aparentemente, gozava. Logo pedia pro macho meter com força de novo.
– Vem você agora moreno. Aproveita que minha buceta está bem arrombada e me fode!
O moreno que Meire chamou era um negão com uma pica gigante. Ela se debruçou em uma grande almofada deixando aquela bunda enorme para o alto e o negão meteu o pau na buceta dela que já estava bem lubrificado. Percebi que acontecia um revezamento de rola na boca dela. Dessa vez dois caras deram a pica para ela chupar.
Paulo ficava atento assistindo a tudo pedindo pra gente não gozar, que era para esperarmos mais um pouco.
– Galera é o seguinte: Eu quero que cada um de vocês metam a pica e gozem dentro da buceta dela! Vou filmar!
Vendo aquela delicia de mulher de quatro era impossível alguém discordar ou desistir. Enquanto ele ajeitava a câmera, focando a buceta da Meire, um dos machos já havia dado o pau pra ela ir chupando.
-É pra meter na buceta só quando estiver pra gozar. Dá umas bombadas e goza dentro da buceta dela, ai vai o outro e assim por diante, dizia o marido parecendo um diretor de filme pornô.
-Quem quiser pode gozar no cu dela também!
Um outro cara, aproveitou a dica, se ajeitou atrás dela e meteu no cuzinho, deu umas bombadas, começou a gemer e gozou. Quando ele tirou o pau, um filete de porra escorreu pela bunda dela e caiu na cama. Paulo vibrou com a cena. Logo em seguida, foi a vez do negão. Ele passou gel na rola e colocou no cu também.
O negão enfiou a rola no cu dela, assim que ele começou a se movimentar dentro dela, ela começou a gritar:
– Arromba meu cu também! Já arrombou a buceta, agora fode meu buraquinho!
Quando o cara tirou o pau, saiu toda a porra que havia ejaculado no cu dela. O marido dela só falava – “perfeito, perfeito”.
Um após o outro, cada um teve a sua vez de gozar na buceta dela ou no cu, cada vez mais a cascata de porra escorria pelas pernas dela, ou pingava direto na cama.
Chegou a minha vez! Comi ela gostoso na posição do frango assado, tive a honra de ganhar uma gozada gostosa da buceta dela que se contraia em volta do meu pau enquanto ela gritava pro marido dela
– Você é o melhor marido do mundo… É a oitava gozada que eu to daandoo!
Quando todos gozaram, ela se levantou e foi tomar banho. No caminho Meire foi deixando um rastro de porra que pingava de sua buceta.
As vezes assisto o filme que Paulo me enviou. Até hoje ainda nos falamos para comentar sobre o “gangbang’’. Ele diz que um dia a surubinha rola novamente.
Casais que tenha vontade de experimentar, ver a esposa dando para outros homens, deixem contato aqui no blog que eu darei dicas, mandarei fotos e contato.

Leo
Leo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.