VOCÊ SABE O QUE É POLIAMOR? NÓS EXPLICAMOS!

ESPOSA CONTA COMO É TREPAR COM OUTRO MACHO NA FRENTE DO MARIDO
4 de junho de 2018
EU E MARIDÃO FODEMOS A LOIRA SAFADA NA FRENTE DO MARIDO DELA
13 de junho de 2018
Show all

VOCÊ SABE O QUE É POLIAMOR? NÓS EXPLICAMOS!

Os triângulos amorosos estão ganhando cada vez mais espaço na nossa sociedade. Atualmente, o amor e o sexo podem ser vividos de maneiras diferentes. Os clássicos casais “fechados” ou monogâmicos – quando o casal só pode amar e fazer sexo um com o outro – estão dando lugar a outras formas de relacionamento. Você conhece o Poliamor?
Poliamor significa ter mais de um relacionamento íntimo, amoroso, sexual e duradouro simultaneamente com várias pessoas, com o pleno consentimento e conhecimento de todos os envolvidos. A pessoa que se considera emocionalmente capaz de entrar nesse tipo de relação é chamada de poliamorosa.
O poliamor é baseado na aceitação do amor entre três ou mais pessoas, independentemente da sua identidade sexual. Pode ocorrer entre mulheres, homens ou transexuais. A única condição é o amor entre eles e a aceitação do relacionamento por todos. O sexo, embora esteja presente, não é o principal da relação.
Os dois ingredientes essenciais do conceito de poliamor são “mais de um” e “amor”. Esse termo não se aplica a meras relações sexuais sem compromisso, orgias anônimas, prostituição ou outras definições populares de troca de parceiro (swing em inglês).

CARACTERÍSTICAS DO POLIAMOR
Fidelidade: Quem é adepto do poliamor estabelece laços honestos com seus parceiros. Estar com outra pessoa não se traduz como engano ou traição porque faz parte do acordo entre eles.
Comunicação e negociação: Devido a particularidade do relacionamento, é essencial falar sobre o que se sente. Não há regras escritas, cada casal irá criar as suas próprias. A única maneira do relacionamento ter sucesso é através de um diálogo aberto e sincero.
Compreensão: É a capacidade de as pessoas serem felizes pela felicidade dos outros. No caso do poliamor, seria o oposto do ciúme, aceitar que a pessoa amada possa amar outra pessoa. É a possibilidade de não ver o outro como um objeto, libertando-se do sentimento possessivo.
Desapego: As pessoas em relacionamentos convencionais geralmente concordam em não buscar outras relações sob nenhuma circunstância, já que colocariam em risco a relação primária, seja diluindo-a ou substituindo-a. Os poliamorosos acreditam que essas restrições não são boas para um relacionamento, pois tende a substituir a confiança por proibições possessivas e a colocar relacionamentos em uma estrutura de propriedade e controle. Os poliamorosos veem o amor a terceiros como um enriquecimento da vida de seus parceiros, em vez de uma ameaça ao relacionamento. O velho ditado “Se você ama algo, deixe-o livre; se voltar, é seu, se não, nunca foi” descreve uma visão semelhante. Por esse motivo, muitos poliamorosos veem a visão possessiva das relações como algo a ser evitado.
Honestidade e respeito: a maioria dos poliamorosos enfatizam a importância do respeito e da comunicação com todos os seus amores. O amor deve ser aceito como parte da vida da pessoa.

FORMAS DE POLIAMOR
Polifidelidade: Envolve múltiplos relacionamentos românticos onde o contato sexual é restrito a membros específicos do grupo.
Relações mono-poli: Onde um dos membros é monogâmico, mas aceita que o outro não é e mantém relações externas.
Sub-relacionamentos: Distinguem-se entre relações “primárias” e “secundárias” (um exemplo é a maioria dos casamentos abertos).
Poligamia: Quando uma pessoa se casa com vários maridos (poliandria) ou várias esposas (poliginia), que podem ou não estar casadas ou manter relacionamentos uns com os outros.
Relacionamento grupal e casamento em grupo: O casamento em grupo ou o círculo de casamento é uma forma de casamento em que mais de um homem e mais de uma mulher formam uma unidade familiar e todos os membros do casamento compartilham a responsabilidade parental em relação a quaisquer das crianças que surgem do casamento. O casamento em grupo às vezes é chamado de “poligamia verdadeira” ou poliginia (da combinação dos termos poliginia e poliandria).
Redes de relacionamentos interconectados: Quando uma pessoa pode ter vários relacionamentos, em vários graus de importância, com várias pessoas.
Acordos geométricos: Os acordos geométricos têm esse nome pela alusão que fazem às formas geométricas. Veja alguns:
Trios: Podem ser uma relação de “triângulo”, em que três pessoas possuem relações iguais entre si; em formato “V”, onde uma pessoa namora duas, mas estas não possuem um relacionamento entre si; e em formato “T”, em que três pessoas namoram, mas duas possuem um relacionamento mais forte entre si que com a terceira.
Quartetos: Também chamados de quadras, o quarteto possui uma variação ainda maior de formações. Pode ser chamado de “formato em N”, quando por exemplo, entre dois homens e duas mulheres, apenas elas são bissexuais e se relacionam; há o quadrado onde todos possuem relacionamento entre si. A geometria da relação pode variar ao longo do tempo.

DIFERENÇAS ENTRE POLIAMOR E POLIGAMIA
Não confunda a poligamia com o poliamor. Eles têm a mesma estrutura emocional e a mesma formação, ou seja, um indivíduo tem um relacionamento amoroso e sexual com várias pessoas ao mesmo tempo, mas há uma diferença: a poligamia requer um vínculo legal (ou similar) estabelecido e socialmente aceito. Já o poliamor não exige mais do que a vontade dos membros do relacionamento e não há nenhum tipo de compromisso, nem tem que ser durável. Quase como a diferença entre um casamento e um casal vivendo lado a lado.
Nos países ocidentais, a lei não reconhece a poligamia, mas existem outras culturas em que é aceita social e legalmente. Em algumas nações islâmicas, por exemplo, a poligamia é permitida e admitida, desde que a esposa ou esposas de um homem deem sua aprovação para o novo membro da família.

Leo
Leo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.