A NOSSA PRIMEIRA E DELICIOSA TROCA DE CASAIS

Casal, leitores do SeximaginariuM, decidiu contar aos nossos leitores como foi a primeira experiencia deles na “troca de casais”.
Tenho 55 anos e a minha esposa Inês 45 anos. Faz algum tempo que começamos a conversar sobre a possibilidade de experimentarmos o “mundo do swing”. Queríamos satisfazer nossa curiosidade e realizarmos essa fantasia sexual.
Entre vários casais com que conversamos pelo Skype, um em particular nos chamou a atenção: Mesma faixa etária, condição econômica e, principalmente, nunca tinham feito troca de casais. Foram várias noites de conversas (Inês passava horas com Clara na internet). O jogo da sedução durou cerca de dois meses. Numa noite, estávamos os quatro online, a conversa esquentou muito e decidimos ligar nossas câmaras. As imagens nos deixaram muito excitados. O casal fez sexo oral e nós dois nos masturbamos em frente a câmera. Foi um “esquenta” para o real! Após esta noite resolvemos marcar um encontro para nos conhecermos pessoalmente – jantar, beber, descontrair e quem sabe…
Chegamos ao restaurante, Marcos e Clara nos esperava. A esposa aparentava ter 40 anos, baixinha, muito gostosa, pernas grossas, bundão, vestido curto transparente, deixando à mostra sua calcinha pequena. Marcos deu um abraço forte na minha mulher e colocou a mão na bunda dela… Senti um clima de sacanagem no ar!
Sentamos à mesa de forma estratégica, com os casais trocados – Eu ao lado de Clara e Marcos ao lado da Inês. Durante o jantar percebi os olhares dele no decote da minha mulher, que deixava metade dos seios de fora. Eu também não “tirava o olho” das pernas da mulher dele.
A noite foi deliciosa. Terminado o jantar, Marcos nos convidou para um café na casa deles. Fomos no carro deles. Os casais entraram no carro na mesma formação do restaurante rsrsrs… Fui no banco de trás com Clara. Olhando aquele tesão de mulher ao meu lado, perdi a timidez e passei a mão nas pernas dela. Nem percebi o que acontecia com a minha esposa e o Marcos ali na minha frente.
Chegamos à casa deles. Ao invés do café tomamos mais algumas tacas de vinho. Falei no ouvido da minha mulher que Marcos não tirava os olhos dela. Rindo ela respondeu que já tinha notado e estava gostando de ser admirada.
– Querem conhecer a casa?
Subimos as escadas e entramos no quarto. Estávamos muito relaxados. Inês diminua a luz e a troca de casais começou… Marcos abraçou minha mulher que olhou para mim procurando aprovação. Sorri e ela entendeu. A mulher dele, encostou em mim e sentiu meu pau duro, latejando. Olho para minha mulher e vejo que estão se beijando… Fiquei muito excitado vendo minha Inês com outro homem.
Quando eu me virei Clara estava seminua. Nos beijamos e cai de boca no peitinho dela, um delicia chupar aqueles bicos pequenos… Chupava, beijava e ouvia os gemidos de prazer da minha esposa. Seria normal que eu tivesse ciúmes, mas, muito pelo contrário, o fato de ouvi-la gemer deixou-me ainda mais louco de tesão.
Tirei a calcinha da Clara e chupei a bucetinha lisinha dela. Chupava e olhava o Marcos metendo na Inês que gemia alto de prazer. Ver minha mulher no pau de outro cara me deixou louco de tesão.
Coloquei a Clara de quatro e meti por trás. Sua bucetinha estava muito molhada, escorrendo… Aproveitei o pau melado e coloquei no cuzinho dela…
Gozamos os quatro praticamente juntos, uma mistura de gritos, palavrões e, depois silencio.
Ficamos deitados por alguns minutos. Minha mulher cabelo todo desgrenhado, maquiagem borrada, mas com cara de satisfeita. O casal levantou e foi ao banheiro… Nos beijamos deliciosamente. Senti a buceta da minha esposa vermelha e melada da porra do Marcos, o que me deixou com mais tesão. Inês confessou que sentiu exatamente o mesmo enquanto me via chupando a buceta da Clara.
Tomamos uma ducha para tirar todo o vestígio da festinha. Descemos e encontramos nossos amigos na sala. Tomamos café e conversamos como se nada tivesse acontecido.
Queremos repetir a dose!
Essa foi a história do nosso primeiro e único swing. Alguém aqui do blog já teve alguma experiencia de troca de casais para nos contar?

Leo
Leo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.