SEMPRE TIVE PRAZER EM FAZER SEXO ANAL

SUA HOTWIFE SE EXIBE NA PRAIA?
20 de janeiro de 2018
REALIZEI MINHA FANTASIA: “PEGUEI” MINHA AMIGA!
28 de janeiro de 2018
Show all

SEMPRE TIVE PRAZER EM FAZER SEXO ANAL

Recebi esse texto de uma leitora do SeximaginariuM:
Não sei se dar o cuzinho é um defeito próprio de uma vagabunda ou uma deliciosa sodomia. O lance é que dando o cu me realizo e gozo como ninguém. E me parece, pelo menos é o que sinto, que a maioria dos homens adora a mulher que dá o cu sem frescuras. E eu dou. Ah, como dou!
Dizem que algumas mulheres fazem sexo anal só para agradar seu parceiro, mas eu faço porque gosto e porque mereço. Mereço sentir um macho bem despojado e acoplado às minhas ancas. Mereço um ferro quente e grosso me rasgando o lombo. Me cobrindo feito uma égua selvagem no cio. Tive uma amiga – grande amiga inclusive – que me disse, e soou como um elogio:
– Você se comportava feito uma vagabunda totalmente sem classe!
Não sabia que foder e dar gostoso o cuzinho para o seu homem, e fazer o que se gosta seja imoral. Enfim, cada um, ou uma, na sua.
Isso que eu sinto é tara, é desejo, e o bom nisso tudo é que sempre o realizo. Mas não pensem que é só isso. Simplesmente dar o cu. Não é nada disso. É questão de gostar do que se faz. E eu amo!
Primeiro aquele sarro gostoso do homem que me cobre – uma brincadeirinha deliciosa antes da penetração – umas lambidinhas em volta do buraquinho, uns dedos atiçados, uns tapas na bunda… Ah, só de pensar já fico cheia de tesão. O que eu gosto mesmo é de foder de lado e dar de lado.
Sabe qual é a sensação?
De ser a submissa do Dom. De ser a safada do gigolô. De ser a putona do proxeneta.

Aquele pau gostoso vai enfiando no meu rabinho e eu mexendo naquelas bolas cabeludas e cheinhas de leite. Aquelas palavras milagrosas que só o capeta sabe. Aquele reboliço de tira e mete até que o cacete se acomode ao furo… Que delícia! E quando ele entra, o meu corpo vai à cadência do rebolado frenético. Dou gostoso, faço gostoso e me empino mais gostoso ainda.
Gosto de dar o cu e isso ninguém me tira. Pensem o que quiserem de mim, mas não sou do tipo que um homem implora para comer o cuzinho. Eu simplesmente o ofereço de bandeja. E se isso é falta de virtude… Sou desvirtuosa mesmo, e daí?

Leo
Leo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.