O QUE É CUCKOLD? COMO CONVENCER A ESPOSA PARTICIPAR.

LEITORA ENCONTRA HOMEM PARA INVERSÃO DE PAPEIS E CONTA O QUE ROLOU!
7 de outubro de 2017
BALADA LIBERAL – TUDO É PERMITIDO NADA É OBRIGATÓRIO
15 de outubro de 2017
Show all

O QUE É CUCKOLD? COMO CONVENCER A ESPOSA PARTICIPAR.

O Sexlog, maior rede social focada em realizar as fantasias mais picantes de seu público, divulgou uma pesquisa realizada com seus usuários para saber quais são os fetiches preferidos dos brasileiros. A tara por Cuckold foi uma das mais pesquisadas no site por homens, ficando em primeiro lugar nas pesquisas feitas por homens do Sul e Sudeste.
Afinal o que é Cuckold?
Em português bem claro, é a tara por ser “corno”. O termo é uma adaptação do inglês cuckoo (o pássaro cuco) que, na natureza, aceita receber em seu ninho uma fêmea que vá botar ovos de outro macho.
Como todo fetiche, há diversas formas de colocá-lo em prática. Algumas delas você pode curtir e outras não. Quer alguns exemplos? Veja:
A mulher sai para encontrar um amante e, ao chegar, conta os detalhes para o parceiro.
A mulher traz um amante para o quarto do casal enquanto o parceiro fica no quarto ao lado escutando toda a ação.
A mulher sai para encontrar o outro cara e grava o ato, para ser exibido para o parceiro ao chegar em casa.
O parceiro fica observando a ação entre a parceira e o amante, sem participar hora alguma.
O parceiro fica observando a ação e logo após o amante gozar dentro da mulher (fica aqui o alerta de não ser uma prática saudável e segura!).
O parceiro transa com a mulher, com o esperma do outro dentro dela.
O parceiro participa da ação (ménage à trois), alternando momentos de atividade e de voyeurismo.

Como conversar sobre isso com a parceira?
Em primeiro lugar, é preciso ter uma relação franca, na qual priorizem a sinceridade e confiança.
A primeira abordagem é sempre a mais difícil. Afinal, como quebrar o gelo de contar para a parceira que você quer vê-la com outro cara? Se não tiverem nenhuma outra prática liberal anterior, dar o primeiro passo pode parecer mais complicado ainda.
Uma dica para dar o primeiro passo: quando estiverem tendo uma dirty talk, incentive-a a compartilhar suas fantasias mais secretas. Quando for a sua vez, conte sobre sua vontade.
Se ela parecer meio receosa, achando que é uma espécie de “teste” para saber se ela quer transar com outros caras, seja sincero e desconstrua essa imagem. Descreva os detalhes, mostre-se animado com essa tara. Deixe bem explícito sua vontade e ela perceberá que não é nem de perto um teste.
Dê detalhes, diga como imagina a cena. Foque no que mais te atrai nesta ideia e deixe a sua parceira perceber o quanto isso te excita. Caso ela se mostre predisposta a topar realizar esta fantasia, conte alguns detalhes quando estiverem transando e peça a ela para imaginar a cena e lhe contar. Construam essa fantasia juntos.
Lembre-se que para muitas parceiras pode haver dificuldade de se imaginar com outro homem, principalmente com você assistindo – receio de ciúmes, de não se sentir a vontade, de o cara fazer algo que possa desagradar vocês – por isto diálogo é fundamental para decidirem o que realmente irá acontecer e, principalmente, definirem os “limites rígidos” (termo do BDSM que cabe nesta situação, para situar o que não pode acontecer de forma nenhuma. É um limite que o outro não está disposto a ultrapassar).

Como funciona na prática?
O casal decide em conjunto como será feito. Pode ser alguma das opções que falamos ali em cima, ou então alguma variação própria de vocês. O que importa é que seja tudo do jeito que ambos planejaram juntos. Aqui serão definidos os limites e as coisas que mais excitam vocês nessa tara.
A partir daí, decidam como vão buscar o novo cara: pode ser alguém conhecido? Não? Vão levar ele para a casa de vocês? Se não for um conhecido, como vão encontrá-lo?
Há algumas opções para encontrar o “outro” desconhecido, entre elas as duas mais comuns: ir a uma casa de swing ou buscar em redes sociais específicas de sexo. A primeira opção é boa para momentos de impulsividade, mas isto não quer dizer que vocês irão encontrar certamente uma pessoa disposta a isto e dentro do gosto de vocês. Mas para casais que nunca tiveram nenhuma prática liberal pode ser uma experiência bem interessante.
Já em redes sociais liberais, como o Sexlog, você pode pesquisar diretamente uma pessoa que se interesse em sair com um casal (ou seja, que tope participar de uma experiência cuckold), conhecer mais sobre a pessoa, conversarem sobre os limites de cada um e combinarem uma experiência única para todos.

Leo
Leo

1 Comment

  1. Marcor disse:

    Gostei do texto, muito elucidativo. Eu quero ser cumprida, ela 48a int sp

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.